sexta-feira, 15 de abril de 2011

Atrás do oceano-Chapéuzinho Vermelho

                  (me deu um click depois que ouvi Supernaut do Black Sabbath)





Militares correndo,sangue nas mãos
atrás de um inimigo privatizado,o fantasma de algo que nunca foi!!
Atrás do oceano,talvez eles estejam atrás do oceano,na frente do céu
Debaixo de Deus;
Nos olhos de Deus
-Fala desgraçado!Bolchevique espatriado!Filho bastardo de Karl Marx!
Atrás do oceano estão eles,no oceano Bélico,nada pacífico,que se encontra no Atlântico
Que mal fizeram Chapéuzinho vermelho?Herzog?O Barão(adivinha a cor?)
O Sol nas capas de revista,me enche de alegria e cobiça
Atrás do oceano,na curvatura do arco íris,onde não    quero estar
Eles vêm montados em cavalos,vestidos de verde-oliva
Armados e desalmados-lobos maus,mas,não vão me desarmar...e nem me desalmar
Tô com povo no corpo,cicatrizante ideologia,
um mosquito radiante de idéias imortais
que bebe da água de um oceano azul,que é a casa eterna de todas as cores,inclusive a subversiva vermelha
Por isso que eles estão alé de mim,
atrás do oceano!

                                          (Eu te amo meu Brasil,eu te amo...)

Esse aqui eu tinha feito direto no Facebook e não resisti á essa imagem que é capa de disco de uma banda chamada Neutral Milk Hotel)
*Inspiração da música "Supernaut" do Black Sabbath:"across the ocean..."resolvi escrever o meu Behind the ocean,rsrsrs)

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Luto pelas crianças do Rio de Janeiro!!!








Nada justifica a bestialidade do ato que foi cometido naquela escola aqui no Rio de Janeiro.Fica aqui registrada a minha solidariedade e pesar para as famílias que perderam os seus anjos tão precocemente.
PANIS ET CIRCENSES.CRUDELIS!!
(Foi sim um caso isolado,mas,choca a todos da mesma forma,ou você não é um ser humano?)

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Obrigado Pablo Neruda!!

                 Hoje venho aqui com um post pronto,feito por nada mais nada menos que Neruda





Posso Escrever Os Versos Mais Tristes Esta Noite Pablo Neruda
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.

Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada,
e tiritam, azuis, os astros, ao longe".

O vento da noite gira no céu e canta.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu a quis, e às vezes ela também me quis...

Em noites como esta eu a tive entre os meus braços.
A beijei tantas vezes debaixo o céu infinito.

Ela me quis, às vezes eu também a queria.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que a perdi.

Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho.

Que importa que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.

Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
Minha alma não se contenta com tê-la perdido.

Como para aproximá-la meu olhar a procura.
Meu coração a procura, e ela não está comigo.

A mesma noite que faz branquear as mesmas árvores.
Nós, os de então, já não somos os mesmos.

Já não a quero, é verdade, mas quanto a quis.
Minha voz procurava o vento para tocar o seu ouvido.

De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
Sua voz, seu corpo claro. Seus olhos infinitos.

Já não a quero, é verdade, mas talvez a quero.
É tão curto o amor, e é tão longe o esquecimento.

Porque em noites como esta eu a tive entre os meus braços,
minha alma não se contenta com tê-la perdido.

Ainda que esta seja a última dor que ela me causa,
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.



Obs:HEHE,assim fica fácil postar aqui,ouvi hoje na Band News Fm-daqui do Rio sendo recitado pelo Juca de Oliveira no quadro Devaneios do programa do Ricardo Boechat e cá está ele.Lindo poema!!